Doe Muda

Projeto Doe Muda de Jagube e da Chacrona.

Projetos em Andamento (projetos em execução atualmente)
Instituição Caminho de Luz

Cidade: Planaltina - DF
NÚCLEO RURAL SANTOS DUMONT CHÁCARA 136 DF-130 KM 04
Contato: caminhodeluz.ceu@gmail.com
Autor: Danilo Lopes

O Instituto Caminho de Luz é um Centro de Aprendizado para a Expansão e Iluminação da Consciência.
Objetivo(s) de Desenvolvimento do Milênio trabalhado(s) pelo projeto: (Qualidade de vida e respeito ao meio ambiente). Planeta Sustentável.

Plantio  Ecológico do Jagube e da Chacrona: começou em fevereiro de 2006 Hoje mais de 10 anos foi feito o plantio simbólico de algumas mudas.
Estamos dando continuidade neste projeto.

JUSTIFICATIVA
Esses projetos se justifica por uma razão principal: Cuidarmos das matas condição indispensável para o desenvolvimento sustentável.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Desenvolver a cidadania, contribuir de forma eficaz na recomposição do Jagube e da Chacrona.

METODOLOGIA
Fazemos oficinas para que existam multiplicadores do
Projeto.

ORÇAMENTO
Os custos são baixos e são pagos pela instituição que precisa de ajuda através de doação para manter este Projeto.

CONSIDERAÇÕES FINAIS
Estamos felizes com os resultados que estamos obtendo em ambos os projetos Arrecadação de Doações para o custeio de serviços.

E materiais para o plantio de  mudas de chacrona e jagube. O desafio é termos mais pessoas envolvidas afim de que os resultados sejam ainda mais promissores.



Projeto Cultivo Ecológico do Jagube e da Chacrona

As informações que serão disponibilizadas nesta postagem são, originalmente, de autoria de um irmão que possuía um trabalho com as Sagradas Plantas da Medicina da Floresta. Este irmão foi quem me permitiu ter acesso às primeiras mudas de Jagube e Rainha que cultivo hoje. Tomo aqui a liberdade de postar as informações que ele me repassou sobre o cultivo dessas duas plantas magníficas. Na época, mais ou menos três anos atrás, eu era totalmente leigo no assunto.  Não que agora eu seja um "expert", longe disso, pois este aprendizado não tem fim. Sendo assim, as dicas me valeram muito e garanto que serão valiosas a todos que queiram se lançar no cultivo do Jagube e da Rainha.

Sobre as dicas, são informações básica e determinantes para o sucesso de um cultivo. Vale lembrar que as dicas devem, antes de tudo, ser norteadoras e não regras absolutas e definitivas. As dicas são importantes, mas a experimentação direta é mais importante ainda. Eu mesmo, procurei experimentar e fazer outras proporções de substratos, ou mesmo utilizar outros tipos de solos e adubos. De qualquer forma, acho as informações muito válidas, por isso resolvi postá-las aqui.

Cultivo Ecológico do Jagube e da Chacrona

SOLO: leve, rico em matéria orgânica, bem drenado.

Exemplos: 
2 partes de terra vegetal, meia de areia e meia de terra vermelha

1 parte de terra vegetal, meia de húmus de minhoca, meia de fibra vegetal, meia de terra vermelha, meia de areia

1 parte de terra vermelha, 1 de esterco bovino bem curtido, meia de areia

1 parte de terra vegetal, 1 parte de vermiculita, meia de húmus de minhoca, meia de terra vermelha

No solo agroflorestal: misturar diretamente na cova com a terra do local e a adubação orgânica após calagem com calcário, de preferência o dolomítico.  Revolvendo a terra aplicar uns 30 dias  antes ou superficialmente sobre o solo em volta do pé no momento do plantio.

LUMINOSIDADE: Para o jagube: semi sombreado ou ensolarado.

Para a Rainha: semi sombreado ou ensolarado algumas horas do dia e sombreado a maior parte.

ÁGUA: Manter úmido sem encharcar.

FORMAS DE CULTIVO: Vasos, canteiros, agrofloresta, estufas. Os jagubes precisam de muito espaço, tendo que ser transportados para canteiros ou solo agroflorestal.

ADUBAÇÃO:

Urina de vaca – 1 ml p cada litro de água, diluída e aplicada diretamente na base da planta e em volta da terra para mudas pequenas e 5ml para mudas grandes.

Húmus de minhoca

Esterco Bovino ou de Galinha bem curtido, ou seja, seco e esfarelado

Compostagem bem curtida

PH: aproximadamente 4,5

Correção do PH para um volume de substrato preenchendo vaso ou cova de 40x40x40cm como ex: acrescentar aproximadamente 200 a 250g de calcário se possível dolomítico.

Opções:  com 30 dias de antecedência, misturar revolvendo a terra na profundidade de 15cm ou ainda no mesmo dia do plantio, fazer um cordão sobre a terra em volta do caule no final do plantio e molhar. Sem encostar no caule.

DEFENSIVOS:

Calda de fumo: contra pulgões. 10ml por litro de água borrifando na área atingida

Calda bordalesa(sulfato de cobre com cálcio): contra brocas do caule, pulgões, doenças diversas. Não aplicar nas flores ou frutos nem nos brotos ou mudas novas.

Utilizar de 1 a 3ml por litro de água.

Cuidados:não ingerir,  não inalar, evitar o contato com as mucosas e lavar bem as mãos e o rosto após utilização de qualquer um dos compostos orgânicos aqui citados, principalmente a calda bordalesa.

Observação sobre o jagube: permitir que o mesmo tenha um condutor, podendo ser uma vara de madeira, um cordão de nylon, para se enrolar, conduzindo para árvore, ou caibro, tora, cerca, etc.

JAGUBE

SINÕNIMOS: MARIRI, CAAPI, CAPI, CABI,  AYAHUASCA, UASCA, OASCA, YAJÉ, CIPÓ DOS MORTOS, DAS ALMAS OU DOS ESPÍRITOS entre outros.

NOME CIENTÍFICO: BANISTERIOPSIS CAAPI, BANISTERIA CAAPI, BANISTERIOPSIS SP.

OBSERVAÇÃO: Existem vários tipos de caapi. Trabalhamos com os seguintes:

Caupuri / Tucumnacá / Ourinhos

Floração: de março a agosto nas regiões tropicais mais quentes e de maio a setembro nas regiões tropicais mais frias ou mais temperadas, que são tropicais de altitude, sub tropicais, etc.

Queda das sementes: de agosto a setembro nas regiões tropicais e de setembro a outubro nas sub tropicais.

Nas regiões mais frias do Brasil(serras do sul e sudeste) normalmente o jagube tem o aparecimento dos botões florais em maio e abertura das primeiras flores em junho, se prolongando no pé até setembro, quando já está com semente.

Fruto: sâmara alada contendo semente no  interior

Poder Germinativo: utilizar  até 30 dias após colheita, depois deste período a capacidade germinativa diminui e interrompe em 60 dias. Germinação: 2 a 3 semanas.

Porte:  até 30m de comprimento ou mais

Luminosidade: semi sombreado ou ensolarado

Melhores formas de cultivo: Agroflorestal ou estufas, vai bem até certo ponto em vasos, tendo que ser transportado posteriormente. Pode ser cultivado em canteiros e quintais.

Cuidados: evitar geada assim como vento e  sombra  excessivos.

Utilizar condutor de madeira, taquara, corda de nylon, para que o cipó possa ir se enrolando até uma árvore, cerca, tora, etc.

Diferenças entre os cipós

Caupuri: flores brancas matizadas de cor de rosa claro com miolo amarelo, ficando brancas com o passar do tempo. Caule com bolotas, crescimento e engrossamento maiores. Fica pronto para o corte bem mais rápido. Rende mais no preparo do sacramento. Teor de alcalóides maior.

Tucumnacá: flores cor de rosa claro com miolo amarelo, ficando brancas com o passar do tempo. Caule sem bolotas. Galhos mais flexíveis.

Ourinhos: flores idênticas às do tucumnacá, sensivelmente maiores .  Folhas sensivelmente maiores e mais amareladas. Caule sem bolotas e mais arredondado, galhos mais quebradiços.

RAINHA

Nome Científico: Psychotria viridis)

Sinônimos: Chacruna, Chacrona.

Diferença entre as rainhas:

Cabocla: folhas menores de cor verde mais escuro. Crescimento mais rápido. Maior quantidade de alcalóides.

Orelha de onça: folhas maiores de cor verde mais claro. Crescimento mais lento. Maior exigência em água e nutrientes.

Porte: Até 4m de altura

Floração: várias vezes ao ano.

Flores: pequenas, branco esverdeadas

Fruto: bagas vermelhas quando maduras contendo duas sementes cada

Germinação: 2 a 3 semanas

Tipos de cultivo principais: Agroflorestal ou estufas. Se adapta bem a vasos, trocando para vasos maiores com o passar do tempo.

Iluminação: semi sombreado ou sombreado com algumas horas de sol ao dia ou exposição pela manhã ou a tarde apenas.

Cuidados: evitar geada assim como vento e sol excessivos

Melhores formas de cultivo: Agrofloresta, estufa, vasos.

OBSERVAÇÃO: Não utilize agrotóxicos e se plantar no sítio evite a monocultura, dê preferência ao cultivo orgânico e policultura agroflorestal.

Substrato para propagação de mudas ou de sementes:

Meia parte de areia  e meia de terra vegetal.

Manter úmido em local semi sombreado até a germinação. Ao estarem bem enraizadas transportar para recipientes maiores para que enraízem bem  até que alcancem uns 25cm ou mais para serem plantadas no local definitivo.

As sementes de jagube são plantadas com as asas para cima, encobrindo apenas a cápsula que contém a semente

As sementes de rainha são duas, ficando no interior do fruto.

Ambas espécies podem ser propagadas através de enraizamento do caule.

No caso de estacas, use galhos com 2 a 3 nós, podendo ser mais nós para a rainha.

A Rainha pode ser propagada também pelas folhas, colocadas para cima e enterradas até a metade.

Informações ecológicas

As sementes de jagube são muito procuradas por periquitos, papagaios, maritacas e as de rainha por sabiá, entre outras aves. Os animais são muito importantes na disseminação e também para o desenvolvimento.

O jagube particularmente engrossa mais rápido quando as abelhas arapiá sem ferrão vêm roer seu caule. Não se preocupe com isso, é ótimo para a planta.

Ayahuasca

Sinônimos: santo daime, daime,  kamarampi, uasca, oaska, entre outros.

Sacramento e medicina da Floresta Amazônica.

É preparado com o cipó jagube, tendo como aditivo a Rainha,  outra,  ou mais plantas, dependendo do conhecimento tradicional  em que o uasqueiro esteja inserido. As mais comuns são a Rainha seguida da Chaliponga.

Originário de tribos nativas que passaram a manipular o cipó ao observarem sua utilização pelo jaguar (onça).

Posteriormente, os nativos repassaram o conhecimento aos caboclos da floresta e estes replicaram o sacramento para o mundo todo, até os dias atuais.
Cultivo Agroflorestal

As vantagens do cultivo agroflorestal

No cultivo agroflorestal o jagube e a rainha são consorciados com as árvores e também alimentos como mandioca e milho por exemplo. Dê preferência por árvores nativas e ajuda usar árvores de crescimento rápido. Pode ter algumas exóticas, principalmente se oferecer frutos para alimentação humana, animal e silvestre, também oferecendo lenha. As árvores são um quebra vento natural e protegem da geada.  Capoeiras são ótimos locais também.

Ayahuasca é um sacramento oriundo de caçadores inseridos em vida harmônica com a Natureza. Não tem sentido em destruir a vida para cultivar, mas sim, dar condições que nossa Mãe Terrena se recupere pois a Ela devemos o Sacramento e toda sabedoria,  amor e força que ele nos proporciona no seu ensino do bem viver e morrer.

Existem muitas outras formas de cultivo e todas são boas, desde que respeitando a vida em todas suas manifestações.

Existem várias formas de se preparar e usar o sacramento, todas muito boas desde que se faça bem feito.

Não entre na moda da monocultura nem dos venenos agrícolas.

Não entre na moda dos fundamentalismos religiosos e preconceitos.

Eles envenenam nossos corpos e almas.

Cuide da Terra, ela é Mãe de Todos, Rainha Suprema.

Postagens mais visitadas

Como chegar